O Transtorno do Processamento Auditivo pode ser descrito como falhas no funcionamento do Sistema Nervoso Auditivo Central e estas podem estar ligadas a dificuldade de aprendizagem, fala, linguagem, atenção, memória e outras funções relacionadas.

O transtorno de processamento auditivo pode apresentar as seguintes características:

  • É distraída ou desatenta.
  • Só ouve ou presta atenção no que quer.
  • Ouve mas não compreende
  • Fala muito Ãh ou O que? 
  • Dificuldades para compreender em lugares ruidosos
  • Troca de Fonemas
  • Dificuldade de Leitura e Escrita
  • Dificuldade de aprendizado
  • Dificuldade de memorização
  • Dificuldade em cumprir ordens
  • Dificuldade em contar uma história ou entender enunciados e interpretar

Como saber se a criança (ou o adulto) tem transtorno do processamento auditivo? 
É importante e necessário fazer uma avaliação com um fonoaudiólogo, que é o profissional habilitado para realização da avaliação auditiva do processamento auditivo.

O exame é realizado para pacientes partir dos 6 anos, tendo como primeiro passo a avaliação periférica auditiva, ou seja, uma audiometria recente. Apresentando limiares auditivos dentro da normalidade, o segundo passo é a avaliação da função auditiva central.

Nesta avaliação é realizada a história clinica do paciente e baterias de testes que avaliam as habilidades auditivas, como por exemplo, localização, ordenação e resolução temporal, fechamento, entre outras e respeitando sempre a faixa etária e queixa. A durabilidade do exame é em torno de 60 minutos. Em crianças, o exame geralmente é dividido em 2 sessões de 30 minutos.

Importante ressaltar que, quando o detectado o problema precocemente, a terapia para o transtorno do processamento auditivo apresenta ótimos resultados quando se realiza um trabalho em conjunto com fonoaudiólogo, pais e professores.